Etileno-propileno terpolimero (EPDM)

Elastómero

Os elastómeros são rígidos, habitualmente macios, mas sempre elasticamente deformáveis sob carga. Após tracção os elastómeros recuperam a sua forma inicial.

Quando aquecidos, os elastómeros não se transformam em plástico (e não são deformáveis), nem derretem. A altas temperaturas, inicia-se a decomposição e o material é destruído. Os elastómeros não podem ser derretidos ou soldados e são insolúveis, ainda que separáveis.

A elasticidade de um material de elastómero é definida pelo grau de reticulação. O processo de ligação é denominado vulcanização ou cura. Os elastómeros vulcanizados são também denominados "borracha".

A borracha de EPDM (borracha de monómero de etileno-propileno-terpolimero (classe M)), um tipo de borracha sintética, é um elastómero com uma ampla gama de aplicações. O E é relativo a etileno, o P a propileno, o D a dieno e o M à sua classificação segundo a norma ASTM D-1418.

A borracha de EPDM é utilizada em selantes, canais de deslizamento de vidro, radiadores, mangueiras de jardim e de eletrodomésticos, tubagens, anilhas, correias, isolamento elétrico, vibradores e na guarnição de altifalantes. Também é utilizada como um meio para resistência à água na união de cabos elétricos, membranas de revestimento, geomembranas, artigos mecânicos de borracha, modificação por impacto de plástico, termoplásticos, aplicações vulcanizadas e muitas outras.

As principais propriedades da EPDM são a sua excecional resistência ao calor, ao ozono e às condições climatéricas. Também possui uma boa resistência a substâncias polares e ao vapor, além de propriedades excelentes de isolamento elétrico.